Israel acusa Irã de disparar foguetes contra exército no Golan

Ao menos 20 foguetes foram disparados de território sírio em direção a postos das Forças Armadas de Israel nas colinas do Golan; Forças iranianas operam na Síria em apoio a Bashar Assad

JERUSALÉM – Forças militares na Síria dispararam ao menos 20 foguetes contra postos do Exército de Israel nas colinas de Golan nesta quarta-feira, 9. O exército israelense está atribuindo o ataque a integrantes das Forças Quds, a elite da Guarda Revolucionária do Irã. Ninguém ficou ferido no ataque. Vários foguetes foram interceptados pelo sistema de defesa antimísseis de Israel, conhecido como Iron Dome.

Os militares de Israel afirmam que as avaliações de inteligência do país previam que depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que estava se retirando do acordo nuclear com o país, Israel provavelmente seria alvo de foguetes e o Irã tentaria retaliar.

Teerã emitiu diversas ameaças no mês passado, em resposta a uma série de ataques da força aérea israelense ao território sírio. O último ataque, realizado em 9 de maio, deixou ao menos sete iranianos na base da força aérea síria T4. Forças iranianas operam em território sírio, e o Irã é um dos principais apoiadores do regime de Bashar Assad.

Desde o mês passado as tensões entre Irã e Israel vem aumentando ao longo da fronteira israelense com a Síria, e o exército aumentou as medidas de segurança na região, instalando mais baterias antiaéreas.

Depois que o ataque foi relatado na noite de quarta-feira, o porta-voz das Forças Armadas de Israel, Ronen Manelis, disse a repórteres que o ataque foi realizado por membros das forças Quds que operam na Síria. Ontem, o exército instruiu moradores da região a procurar os abrigos anti aéreos do Exército caso a situação se agrave.

FONTE: Estadão/Agências Internacionais