EUA concordam com venda à Nigéria de 12 A-29 Super Tucano por US$ 593 milhões

ABUJA (Reuters) — Os Estados Unidos concordaram formalmente em vender 12 aviões A-29 Super Tucano e armas para a Nigéria, afirmou a Força Aérea do país da África Ocidental, confirmando a ressurreição de um acordo congelado pelo governo Obama em relação às preocupações com os direitos humanos.

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, adiou a venda em uma de suas últimas decisões na função depois que a Força Aérea da Nigéria bombardeou um campo de refugiados em janeiro.

Mas seu sucessor, Donald Trump, decidiu continuar com a transação para apoiar os esforços da Nigéria para combater os militantes do Boko Haram e impulsionar os empregos de defesa dos EUA, disseram fontes à Reuters em abril.

O embaixador dos EUA na Nigéria apresentou cartas de oferta e aceitação à Força Aérea da Nigéria na quarta-feira, informaram os militares em comunicado.

Eles disseram disse que o Departamento de Estado dos EUA aprovou a venda e os acordos finais serão assinados e os pagamentos necessários serão feitos antes de 20 de fevereiro de 2018.

Não houve declaração imediata da embaixada dos EUA ou de autoridades em Washington.

O governo dos EUA e os oficiais da Força Aérea da Nigéria se encontrarão no início de janeiro para discutir a entrega antecipada da aeronave, uma vez que o pagamento for feito, disse a Força Aérea Nigeriana.

A venda das 12 aeronaves, com armas e serviços, vale US$ 593 milhões e inclui milhares de bombas e foguetes.

O avião turboélice com capacidades de reconhecimento, vigilância e ataque, é feito pela Embraer do Brasil. Uma segunda linha de produção fica na Flórida, em parceria entre a Embraer e Sierra Nevada Corp de Sparks, Nevada.

O Super Tucano custa mais de US$ 10 milhões cada e o preço pode ser muito maior dependendo da configuração. É propulsado por um motor PT-6 da Pratt & Whitney Canada.

FONTE: Reuters