General revela como sistemas de mísseis russos acompanharam aviões dos EUA na Síria

Aviões militares dos EUA que operavam na Síria estiveram várias vezes na mira do sistema de defesa antiaérea S-300V4, disse em entrevista ao jornal Izvestia o chefe das Tropas de Defesa Antiaérea, tenente-general Aleksandr Leonov.

“Como parte de nossas missões de combate, por diversas vezes os aviões de reconhecimento estratégicos e bombardeiros da Força Aérea dos EUA foram detectados e seguidos automaticamente [pelo sistema de defesa antiaérea S-300]”, disse o militar ao Izvestia.

Segundo ele, o sistema foi implantado na Síria em 2016 para “expandir a zona de controle do espaço aéreo no leste da Síria”, assim como proteger as bases em Hmeymim e Tartus.O general russo sublinhou que os pilotos estadunidenses “reagiram de forma bastante nervosa” quando os sistemas S-300 os acompanharam a uma distância de 200-300 quilômetros.

O sistema de defesa e seu pessoal cumpriram com sucesso todas as missões e voltaram às suas bases permanentes em junho passado.

Mais cedo, a mídia informou que o sistema de defesa aérea russo Pantsir-S1 tinha interceptado dois mísseis, lançados por militantes contra a base russa de Hmeymim. O sistema russo conseguiu derrubar dois mísseis, um outro explodiu antes de alcançar o alvo.

Sputnik News