Índia se retira do projeto FGFA, deixando a Rússia sozinha

A Índia abandonou seu programa colaborativo de 11 anos com a Rússia dedicado a construir uma aeronave de combate de quinta geração. A decisão tem ramificações para a IAF e para a indústria aeroespacial russa

A Força Aérea da Índia (IAF) suspendeu seu programa colaborativo com a Rússia de aviões de combate de quinta geração (FGFA), depois de 11 anos, após disputas quanto a seu custo de desenvolvimento e capacidades tecnológicas.

Altos funcionários indianos, incluindo o Conselheiro de Segurança Nacional Ajit Doval e o Secretário de Defesa Sanjay Mitra, informaram recentemente a uma delegação ministerial russa em visita de que a Índia estava se retirando do programa, disseram fontes oficiais ao Jane’s em 20 de abril.

Acredita-se que as autoridades indianas afirmaram que a IAF poderia, em uma data posterior, “revisitar” o projeto FGFA ou, alternativamente, adquirir a plataforma totalmente desenvolvida, uma vez que tenha sido introduzida na Força Aérea Russa, mas não aprofundaram a questão.

Autoridades do setor disseram que o projeto FGFA, no qual a estatal indiana Hindustan Aeronautics Limited (HAL) era a principal agência de desenvolvimento, também não foi incluído nas negociações durante a visita da ministra da Defesa Nirmala Sitharaman a Moscou no início de abril.

“O projeto FGFA tornou-se um exemplo de muito pouco avanço, muito atraso”, disse o analista militar e marechal aposentado V K Bhatia. Perseguir isso por mais tempo não teria servido aos interesses da IAF de qualquer forma, uma vez que se esforça para compensar os números de caça que se esgotam rapidamente, acrescentou ele.

A IAF acredita que o caça Sukhoi Su-57 (T-50 PAK-FA), que o Ministério da Defesa da Índia (MoD) designou como Persistente Multi-Role Fighter, não atende aos requisitos de furtividade, aviônicos de combate, radares e sensores. Sete protótipos do FGFA estão atualmente passando por testes de voo na Rússia, mas por enquanto não há nenhuma indicação de quando a plataforma deve entrar em produção em série.

No gráfico abaixo, uma comparação do FGFA/Sukhoi T-50 com outros caças de 5ª Geração

FONTE: Jane’s