Será que Argentina está pronta para adquirir caças russos MiG-29?

Após a vitória do candidato do Partido Proposta Republicana, Mauricio Macri, nas eleições presidenciais da Argentina em 2015, muitos especialistas começaram a discutir possível deterioração das relações entre Rússia e Argentina.

Em entrevista à Sputnik, o embaixador da Argentina na Rússia, Ricardo Ernesto Lagorio, falou sobre perspectivas da cooperação entre Moscou e Buenos Aires.

Ele assinalou que a visita do líder argentino a Moscou em janeiro de 2018 demonstrou o contrário às previsões: as partes discutiram projetos perspectivos na área de energia, futura cúpula do G-20, e o presidente russo, Vladimir Putin, convidou o seu homólogo para a Copa na Rússia.

Anteriormente, Rússia e Argentina discutiram a possibilidade da venda de caças russos MiG-29, mas, depois, a parte argentina se afastou por algum tempo da realização do projeto. Falando sobre renovação das negociações, o embaixador argentino notou que na semana passada o vice-ministro da Defesa da Argentina desembarcou em Moscou para participar de uma conferência de segurança, onde foram discutidas muitas questões de cooperação técnico-militar.

Ricardo Ernesto Lagorio frisou que a Rússia quer vender armas à Argentina, o que foi anunciado pelo chanceler argentino ainda no ano passado durante o encontro com o seu homólogo russo, Sergei Lavrov.

Atualmente, o orçamento argentino se mostra limitado, consequentemente, a compra de novas armas e equipamentos militares pode estar relacionada a isso. Durante a visita do ministro argentino, não foram discutidas medidas concretas, somente possibilidade de venda e compra.

O embaixador adicionou que além do mais, as Forças Armadas da Argentina atualmente estão em reestruturação e, por isso, qualquer decisão sobre compra de equipamento militar será tomada após finalização deste processo. “Em primeiro lugar, é necessário finalizar a reestruturação, e depois vamos ver o que se pode fazer em conformidade com as ofertas e condições orçamentárias”, concluiu.

FONTE: Sputnik