As armas usadas no ataque contra a Síria

Os primeiros ataques foram feitos com bombardeiros B-1 e mísseis de cruzeiro Tomahawk lançados de navios. O general Mattis disse que o número de mísseis Tomahawk usados foi o dobro do ataque do ano passado, quando foram empregados 59 mísseis contra a base aérea síria de Shayrat.

Os bombardeiros B-1 usaram o míssil de cruzeiro furtivo Joint Air to Surface Stand-off Missile (JASSM).

Um oficial disse ao site USNI News que os Tomahawks foram lançados pelo destróier de mísseis guiados USS Donald Cook (DDG-75) e um cruzador de mísseis guiados da classe Ticonderoga.

O ataque feito pelos americanos teve como alvo instalações de pesquisa e desenvolvimento de armas químicas em Damasco. Foi ressaltado que houve cuidado para evitar danos colaterais a civis nos arredores.

Mídias na Síria informam que as defesas sírias abateram 13 mísseis.

O Reino Unido informou que usou 4 jatos Tornado GR4 com mísseis Storm Shadow para atacar um alvo a 15km a oeste de Homs, que teria estoques de armas químicas.

Foi dito que houve um estudo detalhado para empregar os mísseis de cruzeiro Storm Shadow a fim de maximizar o estrago nas instalações e minimizar o risco de contaminação na área ao redor.

No Twitter foi divulgado que a França empregou 4 caças Rafale-B do AdA, armados com 2 mísseis de cruzeiro SCALP-EG e 4 mísseis ar-ar MICA, além de com 3 tanques de combustível alijáveis. Provavelmente foram reabastecidos em voo por KC-135.

Mísseis JASSM na baia de armas de um B-1B
Míssil Tomahawk sendo lançado de um destróier da Marinha dos EUA
Tornado com mísseis Storm Shadow
Rafale B com mísseis Mica IR/EM, Mica EM e SCALP-EG
Imagem divulgada no Twitter do presidente da França mostra um Rafale decolando para uma missão de ataque contra depósitos de armas químicas na Síria
Tornado da RAF decolando para o ataque