Tu-160 russo vs B-1B Lancer norte-americano: qual é o melhor?

A revista National Interest comparou o bombardeiro russo Tu-160 com o "concorrente" norte-americano B-1B Lancer.

Segundo a edição, tanto a parte externa das aeronaves como suas metas são muito parecidas, mesmo assim, há algumas diferenças.

O norte-americano B-1B Lancer atua a baixas altitudes e dificilmente chega a 1.500 km/h. Por isso, o bombardeiro não consegue sobrevoar solo a curtas distâncias com defesa antiaérea potente. Contudo, o avião pode receber imagem de radares dos objetos no terreno e usar armas de alta precisão. Desde o início da operação norte-americana no Iraque e no Afeganistão, os bombardeiros contam com contêiner de mira suspenso Sniper XR.

O Tu-160 russo, conforme nota a edição, é maior e mais rápido do que o avião norte-americano. Além disso, o Tu-160 consegue decolar com peso máximo de 272 mil quilogramas e atinge velocidades superiores a 2.511 km/h, enquanto o seu concorrente só consegue decolar com uns 216 mil quilogramas.

Tradicionalmente, o bombardeiro russo é equipado com mísseis de cruzeiro de longo alcance X-55, sendo capaz de levar 12 mísseis X-55 a bordo. No entanto, na Síria, o avião usou versões atualizadas X-555 e X-101 pouco visíveis aos radares. Mais isso não é tudo, o bombardeiro russo conta também com mísseis de cruzeiro X-102 equipados com ogiva termonuclear.

O Tu-160 é o maior avião com asas geometricamente modificadas, entrando para a lista das máquinas de guerra mais potentes do mundo. Em 2015, foi anunciada a decisão de renovar a produção dos portadores de mísseis estratégicos na fábrica produtora de aviões de Kazan. Em novembro de 2017, o novo avião foi entregue completamente montado à estação de testes da fábrica. Com a modernização, a efetividade do bombardeiro russo deve aumentar 60%.
FONTE: Sputnik